domingo, 31 de julho de 2011

sábado, 30 de julho de 2011

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Geodesicos...




Podereis pensar que este texto é sobre sexo… Sim! É sobre sexo! Coisa inédita aqui pelo quintal!


Por várias vezes e frequentemente Ela é convidada por Ele para ir visitar os geodésicos. E pensais vós…. “Ai e tal Geodésicos… falus” e pensais muito bem! Ora, o belo do Geodésico tem realmente a forma fálica… mas serve só de pretexto


De pretexto para Ela estar com Ele, de beijar Ele, de sentir, devorar e de se perder nos braços de Ele. Podereis pensar “Ai e tal… o texto é sobre sexo…é sexo!!!!!”


Desenganem-se os comuns dos mortais… porque os geodésicos só existem (pensavam vocês que era para marcar o território, nã!!!!!!), não apenas pelo seu componente fálico, mas porque é Ele que convida Ela, é Ele que toca Ela, é Ele que beija e devora Ela e por fim é Ele que admira com Ela os Geodésicos na calmaria de um simples olhar!


E se Ele não existisse, os Geodésicos não seriam tão importantes na vida de… Ela!

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Sophia Loren


Estando a “je” esplaneiting ali para os lados de Madagáscar, perto do belo do pastel de nata e mesmo ao lado dos Jerónimos, eis quando senão é abordada pelo casal maravilha.


O casal maravilha estava na mesa ao lado e para que melhor entendam, ela usava um chapéu (que algures no tempo tinha o nome de “cápline”), óculos escuros quadradões, qual Sophia Loren, saidinha dum filme de cinema dos anos 60. Ele, por seu lado, tinha ar de realizador de cinema da mesma época.


Abordaram a moçoila, em inglês, claro! e as “dóvidas” estavam ligadas com o Museu de Madagáscar e quais os circuitos que poderiam fazer. A “Je” lá foi simpática e, como simpática que é, questionou a nacionalidade e se estavam de férias.

Para espanto da moçoila a Sophia Loren de Madagáscar era dos States, tinha um apartamento em Nova Iorque, contudo, residia ali em Moçambique que é como quem diz no fim da linha! Perguntei-lhe se gostava de morar na linha e ela respondeu “Adoro morar em Moçambique, é perfeito! Pena é ter portugueses! O que estraga Moçambique é os portugueses!”


Aqui a “je” continuava de boca aberta, o realizador de cinema não falava só sorria, fiquei com serias “dóvidas” se seria mudo! E lá se levantou ele, sem palavras, e foi ao balcão. “Nestes entretantos” a Sophia Loren mostrou-me um postal que tinha comprado para o realizador, sem ele saber, pois ia oferece-lo em tom de surpresa pois descobriu que ele era o Amor da sua Vida. Lá balbuciei que era bonito e a Sophia sem mais nem ontem deixa-me o telefone fixo de casa para quando eu visitasse Moçambique beber um café com ela. Lá se despediram e foram até ao Museu de Madagáscar!

Passado um tempo deparei-me com o postal abandonado na mesa. Liguei para o telefone fixo da Sophia e pedi à empregada a morada da Sophia, após explicar a situação. Antes de vir para o Shire passei pelos CTT e enviei o postal não sem deixar um bilhete junto ao postal a dizer:

“Boa tarde Sophia, não queria que deixasse de oferecer o postal ao Amor da sua Vida, por tal, resolvi enviar-lho… Ass: uma portuguesa”

E vim para o Shire com um sorriso nos lábios e raivinhas internas. Apesar de não ter nascido em Portugal nem de me sentir portuguesa, mesmo que o meu BI diga que sim… Não admito que digam mal do povo português… pois só os portugueses podem dizer mal de si! Mais ninguém!

quarta-feira, 27 de julho de 2011

terça-feira, 26 de julho de 2011

May I feel...



Foto: N. tamindzki


may i feel said he
i'll squeal said she
just once said he
it's fun said she


may i touch said he
how much said she
a lot said he
why not said she


let's go said he
not too far said she
what's too far said he
where you are said she


may i stay said he
which way said she
like this said he
if you kiss said she

may i move said he
is it love said she
if you're willing said he
but you're killing said she


but it's life said he
but your wife said she
now said he
ow said she


tiptop said he
don't stop said she
oh no said he
go slow said she


cccome?said he
ummm said she
you're divine! said he
you are Mine said she


e.e. cummings

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Medo

Foto de: A.Arismendi


Todas as quartas, ela entra-me pela porta adentro quando vou fazer aquilo que mais gosto, mais perto dali do que acolá. É alguém que entrou na medonha idade. Surge sempre decidida e tem uma postura de poucas dúvidas… penso que me procura pelo meu lado consciencioso, calmo e ouvinte. Fá-lo para clarificar coisas, não interpreto como dúvidas. E esta foi a conversa da última semana:



A-que-entra-pela-porta-adentro: Boa tarde Jiminy, preciso de clarificar coisas consigo.
Moi-même: Sim, então chute!
A-que-entra-pela-porta-adentro: Qual é, para si, a diferença entre paixão e amor?!?!
Moi-même: Ora, pergunta pertinente e não tão fácil de responder quanto parece. Pessoalmente considero a paixão um estado “quase patológico” a pessoa perde a razão, a personalidade, só vê o outro, só pensa no outro, só deseja o outro e não vê mais nada! Quanto ao amor “Ahhhhhh Zamour” a coisa é um “cadinho” diferente. É quando a paixão passa, é quando se abre os olhos e se vê os defeitos do outro e como o outro realmente é… e o amor acontece quando descobrimos que conseguimos lidar com os defeitos do objecto da nossa paixão! Estar apaixonado ao mesmo tempo que o outro, por vezes é difícil de alcançar, é necessária sintonia. Em ambos é preciso que o outro permita que aconteça!
A-que-entra-pela-porta-adentro: Pois eu penso o mesmo e o que me rói a vida é que houve um alguém na minha vida a quem eu disse “não te preocupes tanto porque eu não te amo” contudo estava apaixonadíssima por esse alguém. È Fácil apaixonarmo-nos por esse alguém. Além de bonito por fora é bonito por dentro. Tem bons valores, é um bom homem. É doce, preocupado, presente, bem-disposto e correcto… o que o melhor o define é um homem correto!
Moi-même: E disse-lhe?
A-que-entra-pela-porta-adentro: Não, não lhe disse! Por medo do medo que ele tinha dos meus sentimentos, pelo medo que ele tinha de se apaixonar, pelo medo que ele tinha das perdas dele! Preferi não dizer!
Moi-même: Pessoalmente considero que esse seu medo e protecção desse alguém quanto aos medos dele a prejudicou, mas é amor! O amor traduz preocupação com o outro, protecção, estima e tantos outros sentimentos nobres que você descreve!
A-que-entra-pela-porta-adentro: Continuo a considerar que seja só paixão, mas sim! Esses sentimentos estão cá.
Moi-même: Porque não lhe diz??
A-que-entra-pela-porta-adentro: Acho que já não vou a tempo! Penso que para ele deixou de ser a melhor coisa do mundo estar comigo! Essa mensagem veio traduzida na ausência dele e no seu silêncio ensurdecedor! O silêncio dele disse-me tudo!
Moi-même: Mesmo no seu silêncio ele merecia saber o quanto é importante!
A-que-entra-pela-porta-adentro: Penso que na vida as coisas têm o seu tempo e talvez já tenha passado o tempo para tal!
Moi-même: Só saberá se o tempo passou quando lho disser! Que tal dizer-lhe? Caso não consiga dizer-lhe… escreva! Ele merece saber que é importante!
A-que-entra-pela-porta-adentro: Talvez lhe escreva!

E quando ela se foi só pensava… “O MEDO” a maior arma contra o amor e a paixão!! Deixamos de sentir por não dizer, deixamos de partilhar por não dizer, deixamos de dizer tanto... e tudo se perde por MEDO!

domingo, 24 de julho de 2011

sábado, 23 de julho de 2011

quarta-feira, 20 de julho de 2011

terça-feira, 19 de julho de 2011

Momentinhos bons...




A malta recebeu o tó-fonema da amiga de Amesterdam. Era im-putante e urgente que a moça estivesse presente na "esplaneiting" pois a amiga viria com o seu Adónos de RibaTexas.



A moçoila lá foi a "carreri" muito e dá de caras com pratos de caracois e caracoletas. A amiga de Amesterdam, que passou a ser a amiga de RibaTexas, adora os bicharocos! Lá me mandei para uma salada de polvo e entre imperiais e "pánachés", cavaqueamos imenso, botamos a conversa em dia e conhecemos melhor o Adónis de RibaTexas, o moço é um doce!


E no final do dia, voltamos ao shire com menos saudades no coração, com o polvo a saltitar, qual lapa, no interior da moçoila e com vontade de caracól!


E foi um momentinho tão bommmmm......

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Visitas ao Shire...



Podem pensar que o post seria sobre o Sr. Mandela, Não! nem por isso! (apesar de gostar muito do Sr.), Não... não me apetece tecer comentários sobre mais um aniversário do mesmo. Por tal, o texto será sobre uma ave rara, sem qualquer importância na história mundial. Contudo, importante devido à visita prestada à moça.




A moça já tinha sido alertada pela vóvó cricket que existia alguém que visitava o Shire todos os dias. Pela descrição da vóvó era alguém raro de se ver e a malta não ligou muito e lá pensou ..."cenas da vóvó".

Contudo, hoje, assim, pela manhã, mais ao menos pelas 10 da matina, está a moçoila a tomar o seu café da manhã, olhando as árvores ao sabor do vento aqui pelo shire e avista a criatura. E sim, a vóvó tinha razão, era algo raro de se ver.

Lá a malta pega no pc e cusca o que seria e descobre que, o ser que todos os dias visita o shire, afinal é um habitué pelas Europas, agora no Shire nunca pensei!

A visita foi do Hoopoe (mais conhecido por "hu-pu") reservado e dificil de ser alcançado. Contudo, fez questão de saltitar e namorar aqui pelo nosso quintal!

E digam lá se não é bom viver no Shire, tão pertinho da civilização mas onde se vê almas raras que por aqui nos visitam!

domingo, 17 de julho de 2011

sábado, 16 de julho de 2011

terça-feira, 12 de julho de 2011

domingo, 10 de julho de 2011

sábado, 9 de julho de 2011

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Rumores...

Polaroid de Charlene Wright

terça-feira, 5 de julho de 2011

Pó-bremas de visão....



E a malta lá foi ao aniversário do amigo que era mais ao menos para li, mais perto de acolá, para não dizer à beira Tejo. A Malta lá “cumbibeu” brincou, pulou, comemorou a data especial do amigo, num Spot bem bonito de Lisboa.



Claro que para tal evento , a malta fez uma “pró-dução” cuidada e esmerada, pois a ocasião e o local assim o exigiam. Além do modelito maravilha a malta leva a "encharpe" especial, pois além de bonita é aquela que está carregada de valores sentimentais.



Ora "apois" do "jantareles" lá se botou a musiquita dos anos 70 (que a dos 80 já ninguém aguenta) e a coisa ainda foi mais dolorosa. Eu se não aguento a musica dos anos 80, imaginam a dos 70 nos meus ouvidos!!!!! Foi a trevaaaaaaaaaa!



Lá pelas 2 da matina a malta retira-se e, no dia seguinte, eis quando senão, e para a maior dor no seu coração a moiçoila descobre que a encharpe não estava presente cá pelo Shire! A galdéria!


A malta lá faz 20 kms para ir ao Spot procurar a encharpe e dá de caras com o “Xirente” do Spot, qual Adónis de 1,90, moreno, olhos grandes e negros e com uma voz divinal. O moço foi incansável, tentou de tudo para encontrar a "encharpe" da moçoila, tomou as diligências necessárias, foi cordial e simpático. Contudo, não obteve sucesso!



Regressei ao Shire com uma dor no coração de ter perdido a minha "encharpe" e com a vista muito mais lavada! Chegando ao Shire encontro a VóVó-Cricket com a encharpe na mão…

VóVó-Cricket: Oh moça tu andas com falta de visão? A encharpe sempre esteve aqui! Fizeste 40 kms para procurar o que nunca perdeste?!?!
Moi-Même: Ai VóVó eu fi z 40 kms para ficar a ver melhor!!!!! E se fiquei!!!!!

E ele há lá coisas! As coincidências e o acaso existem! Mas porque raio é que, por mero acaso, toda esta situação me levou a esbarrar com um Adónis que não verei jamais! Só pode ter sido para melhorar a vista! Só pode!

domingo, 3 de julho de 2011

sábado, 2 de julho de 2011