terça-feira, 30 de junho de 2009

prometi...

Os moçoilos que por aqui passam me desculpem mas prometi fazer um bolo e não cumpri.
Talvez a "fote" ajude ;)

domingo, 28 de junho de 2009

sábado, 27 de junho de 2009

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Conselho...


Aconselho ao nosso menino que faça como o Putin... Vá ao super!!!!

The King...


quarta-feira, 24 de junho de 2009

The Real...


A malta gosta do amigo (apesar de ele viajar um cadinho na maionese). Viajar na maionese é o people que não se mexe na vida sem olhar para a carta astral e ver se pode sair de casa devido aos trânsitos (os movimentos efectuados pelos belos dos planetas).

Sempre achei que não sair de casa só porque Plutão está ali… ups! ao virar da esquina, era um pouco forte demais. Gosto de sair de casa independentemente dos movimentos do que quer que seja.

Apesar de não ter o mesmo modus operandis que o pessoal da maionese, a malta gosta do amigo e lá foi jantar e matar saudades do mesmo. Nessa noite esbarramos com outro amigo do amigo que se juntou a nós.

Como não conhecia o moçoiolo esta foi a conversa:

Ele: o teu olhar é mesmo típico do teu signo
Eu: Achas? (ai o catano! Queres ver que tenho mais alguma coisa que desconheço típico do signo?) Mas acho estranho porque me identifico mais com o meu ascendente!!!
Ele: Ahhhh signo em agua e ascendente em fogo, intenso!!!!
Eu: … (intenso???? What are he talking about?)
Ele: Por acaso sabes onde tens a lua?
Eu: Pois, não faço a mínima! (e a olhar disfarçadamente a ver a lua por cima do rio, para mim a lua está ali no céu)
Amigo da Je: Ela tem a lua na 5ª casa e em Capricórnio.
Ele: Lindo! Signo em agua, ascendente em fogo e a lua …ui!!! na 5ª casa...hmmm bela casa! ;) tanto aquecimento que para aí vai...um autêntico Verão!!!
Eu: … (eh pa! Não estou a dar por nada!)
Ele: E sabes onde tens Marte e Vénus?
Amigo da Je: Ela tem Marte na terceira casa e em escorpião e tem uma quadratura com o sol. Quanto à Vénus é uma aventura, tem a moçoila na primeira casa, em virgem e tem um trieno com a lua e um Sextile com o dito do mercurio. é uma aventura!!!!!
Eu:... (F*** what they’re talking about???????????????????)

Eu adoro estas barreiras à comunicação!!!! O people fala e a malta aqui não apanha! Foi uma noite divertida…. Eu não matei saudades do meu amigo (porque não falamos os dois) ele matou saudades do amigo dele e descobri que o meu amigo sabe mais de mim que eu… pelo menos sabe onde anda a minha lua!!!!!

domingo, 21 de junho de 2009

terça-feira, 16 de junho de 2009

Por que é que as mulheres demoram tanto tempo quando vão à casa de banho?






O grande segredo de todas as mulheres a respeito da casa de banho é que quando eram pequeninas as mamãs levavam-nas à casa de banho, ensinavam a limpar o tampo da sanita com papel higiénico e depois a por tiras de papel cuidadosamente no perímetro da sanita.

Finalmente instruíam da seguinte forma:"nunca, nunca te sentes numa casa de banho pública!"

Depois ensinavam a A Posição, que consiste em balançar sobre a sanita numa posição de sentar sem que o corpo tenha contacto com o tampo.

A Posição é uma das primeiras lições de vida de uma menina, importante e necessária, que as acompanha para o resto da vida. Mas ainda hoje, na maioridade, A Posição é dolorosamente difícil de manter, sobretudo quando a bexiga está quase a rebentar.

Quando É IMPERATIVO ir a uma casa de banho pública, encontra-se uma fila enorme de mulheres que até parece que o Brad Pitt está lá dentro. Por isso, resigna-se a esperar, sorrindo amavelmente para as outras mulheres que também cruzam as pernas e os braços, discretamente, na posição oficial de “tou aqui tou-me a mijar!”.

Finalmente chega nossa vez! E chega a típica mãe-com-a-menina-que-não-aguenta-mais e diz: "a minha filhota já não aguenta mais, desculpe, vou passar à frente,que pena!"

Verifica-se por baixo de cada cubículo para ver se não há pernas. Estão todos ocupados.

Finalmente, abre-se um e lançamo-nos lá para dentro, quase derrubando a pessoa que ainda está a sair.

Entra-se e vê-se que a fechadura está estragada (está sempre!), não importa…
Pendura-se a mala no gancho que há na porta… QUAAAAAL? Nunca há gancho!!

Inspecciona-se a zona, o chão está cheio de líquidos indefinidos e fétidos e não nos atrevemos a pousá-la lá, por isso penduramos a mala no pescoço enquanto se observa como a mesma balança debaixo do nosso corpo, sem contar que a alça se desarticula do pescoço, porque a mala está cheia de coisinhas que foram caindo lá para dentro, durante 5 meses seguidos, e a maioria das quais não têm utilidade, mas que lá estão no caso de…

Voltando à porta… como não tinha fechadura, a única opção é segurá-la com uma mão, enquanto com a outra se baixa as calças num instante e se adopta A Posição

AAAAHHHHHH… finalmente, que alívio… mas é aí que as coxas começam a tremer… porque nisto tudo já estamos em suspensão no ar há dois minutos, com as pernas flectidas, as cuecas a cortarem a circulação das coxas, um braço estendido a fazer força na porta e uma mala de 5 quilos a cortar o pescoço!

Gostaríamos de nos sentar, mas não houve tempo para limpar a sanita nem tapá-la com papel; interiormente achas que não iria acontecer nada, mas a voz da mãe faz eco na cabeça nunca, nunca te sentes numa casa de banho pública! e então ficas na “posição de aguiazinha”, com as pernas a tremer… e por uma falha no cálculo de distâncias, um finííííssimo fio do jacto salpica-nos e molha-nos até às meias!!

Com sorte não molhamos os sapatos… é que adoptar A Posição requer uma grande concentração e perícia.

Para distanciarmos a mente dessa desgraça, procura-se o rolo de papel higiénico, maaaaaaaaaaas não hááááá!!! O suporte está vazio!

Então rezamos aos céus para que, entre os 5 quilos de bugigangas-em-caso-de que estão na mala, pendurada ao pescoço, haja um miserável lenço de papel… mas para procurar na mala há que soltar a porta… ???? Duvidamos um momento, mas não há outro remédio.

E quando se solta a porta, alguém a empurra e eis que surge uma trolitada na cabeça que nos desorienta, mas temos que a travar num movimento rápido e brusco enquanto se grita from the top of our lungs:

OCUPAAAAAADOOOOOOOOO!!

E assim toda a gente que está à espera ouve a mensagem e já podemos soltar medo, ninguém vai tentar abri-la de novo (nisso as mulheres têm muito respeito umas pelas outras).

Encontramos o lenço de papel!! Está todo enrugado, tipo um rolinho, mas não importa, faz-se de tudo para esticá-lo; finalmente conseguimos e limpamo-nos; mas o lenço está tão velho e usado que já não absorve e a mão fica toda molhada. Ou seja, valeu de muito o esforço de desenrugar o maldito lenço só com uma mão.

Entrtanto ouve-se algures a voz de outra velha nas mesmas circunstâncias "alguém tem um pedacinho de papel a mais?"..... (Djisus...!!!)


Sem contar com o galo da marrada da porta, o linchamento da alça da mala, o suor que corre pela testa, a mão a escorrer, a lembrança da mãe que estaria envergonhadíssima se nos visse assim… porque ela nunca tocou numa sanita pública, porque, francamente, não se sabes que doenças se pode apanhar ali, que até é possível engravidar!! (Remmember??)….

Estamos exaustas! No final desta odisseia já não se sentem as pernas, arranjamo-nos rapidíssimo e puxamos o autoclismo a fazer malabarismos com um pé, muito importante!

Depois siga para o lavatório. Está tudo cheio de agua (ou xixi? lembram-se do lenço de papel…), então não podemos soltar a mala nem durante um segundo, pendurá-la no ombro; não sabemos como é que funciona a torneira com os sensores automáticos, então tocamos até sair
um jactozito de água fresca e obtemos uma gota de sabão.

A lavagem é numa posição de Corcunda de Notre Dame para a mala não resvalar e ficar debaixo da água.

Nem sequer se usa o secador, pois é uma porcaria inútil, pelo que no fim as mãos secam nas calças – porque não se vai gastar um lenço de papel para isso – e saimos…

Nesse momento aproxima-se o namorado, ou marido, que entrou e saiu da casa de banho dos homens e ainda teve tempo para ler um livro de Jorge Luís Borges enquanto esperava a respectiva.

Mas por que é que demoraste tanto? - pergunta. "O Idiota"

Havia uma fila enorme... - Responde uma qualquer de nós...


domingo, 14 de junho de 2009

sábado, 13 de junho de 2009

terça-feira, 9 de junho de 2009

Picky & Choosy


Estando uma tarde destas conversando e esplaneiting com a amiga Australiana (a Didi) que veio passar uns dias e ver as festinhas do Santo António… (sem mim, claro!) quem me conhece (e tenha passado por aqui o ano passado deu para ver) sabe que eu e o Santo Antoine não nos tratamos por “tu”.

E como as conversas são como as cerejas, morangos e frutas tropicais lá paramos num ponto interessante, estávamos a falar de adopção em Portugal (que é difícil, dá jeito as crianças pairarem anos em instituições que são subsidiadas pelo governo… digo eu!) e na Austrália nem existe hipótese de adopção (porque por lá não há criancinhas para adoptar).


Um Australiano que se preze, apanha o “vião” e vai adoptar uma criança “chinoca” e eu expliquei à Didi que era mais fácil ir a Cabo Verde de Férias e vir de lá com um filho… "Pu-tantos", conversas sérias!!!

E chegamos a um ponto, estando as duas na mesma faixa de rodagem, que a conversa foi dar no seguinte:

Eu: Estou cansada que quando digo a minha idade me perguntem porque nunca tive filhos, porque não casei, porque não segui o que o resto do rebanho faz.
Didi: Como eu! As pessoas acham estranho uma mulher a partir de uma certa idade não ter seguido a linha que todos seguiram.
Eu: E depois é difícil explicar a esta gente que não se encontrou o Pai dos filhos, que não fomos egoístas ao ponto de ter uma criança por não ter condição financeira de o manter (que esta gaita do “tudo se cria” não é para mim) existem condições mínimas para se dar a uma criança. E isto de instabilidade financeira não dá para tal!
Didi: Tal como eu! eu quando digo à minha Mãe que nunca achei o Pai dos meus Filhos ela diz que sou “Picky & Choosy”… e eu apenas só quero alguém que não tenha problemas com droga, problemas com álcool, um divorcio mal resolvido, problemas mentais!!! Ou seja… I would like to find a normal guy!!!!!
Eu: Pelos vistos é geral!!!!!!!!


Eu a pensar..... no único continente onde há mais homens que mulheres por km2, pensei que fosse mais fácil, mas pelos vistos as Didis têm o mesmo "pó-brema" que nós! Ai e tal e somos Picky & Choosy ;)

Nota: E a foto (para quem me conhece, é do Pai dos meus Filhos-nunca-projectados-mas-inconscientemente-lá) e ups! é Australiano ;)


segunda-feira, 8 de junho de 2009

boss


Conversa entre moi même e amiga cuja profissão é vender papel (“engrelopes”, papel continuo e afins)

Amiga: Nem te conto, vai uma gaija toda foleira para uma reunião (de “chineloca” no pé) já em antecipação das férias e” sai-se-mis” um Adónis da sala de reunião e pergunta pelo meu nome.
Eu: Então? Tu que andas sempre toda “próduzida” vais para a reunião de chineloca no pé?
Amiga: Fiquei estupidafacta!!!!!! Estas a ver aqueles moçoilos que só vês nos anúncios dos perfume da “Boss”, era mesmo isso!!!! O homem só me fazia perguntas sobre orçamentos e eu só pensava nos puxões que lhe dava aqueles cabelos negros e revoltos!
Eu:…. (pronto, soltou a imaginação)
Amiga: E não é que quando falamos em envelopes, estou eu a mostrar os que tenho e ele vira-se para mim e diz “mas esses são só de passar com a língua” e faz o gesto com a língua e eu só pensava no que fazia com aquela língua!
Eu:… (pronto, agora piorou!!!!)
Amiga: Depois pede-me um orçamento de envelopes em que a pala não pode morder não sei o quê e eu só pensava que quem lhe mordia era eu!!!!!
Eu: Oh milheri!!!!! E então? Não respondeste?!?!?!
Amiga: Eu não!!!!!!
Eu: Tanta coisa, tanta imaginação e não entras na brincadeira?
Amiga: Para quê?
Eu: …… (Pela pura beleza de sorrir e brincar?)


Oh catano! Esta gente não se diverte!!! tanta imaginação, tanta coisa que se imagina no nosso quintal mais intimo (leia-se mente) e depois não se verbaliza??????? Ah que falta de senso de humor!!!!

domingo, 7 de junho de 2009

sábado, 6 de junho de 2009

sexta-feira, 5 de junho de 2009

e...


Tem gente que nos custa a sair da pele



quarta-feira, 3 de junho de 2009

Momentinhos...


Last naiti a malta sai a correr do Job e é surpreendida pela presença das amigas de Amesterdam e Hong-Kong.

“Ai e tal” viemos raptar-te para beber um coffee e a malta ficou derretida, assim mais para o melada, pela surpresa linda que as amigas fizeram e “vora” lá beber um coffee com as amigas.

“Chegemos” ao local indicado e toca de procurar uma sala de fumadores (onde outrora uma porta me atropelou) e a que existe estava com gente a mais e calor a mais e siga para a esplaneiting.

Estivemos esplaneiting e mandando conversa para o ar, falando dos cadáveres abelhudos que pululam na vida da amiga de Hong-Kong e estratégias para matar os abelhudos presentes na vida dela.

Cuscamos imenso, “falemos” dos nossos dias, dividimos gargalhadas, sorrisos, coisinhas boas e tentávamos que a noite se esticasse um pouquinho mais para matar todas as saudades.

A amiga de Amesterdam trouxe a “je” ao shire e lá “fumemos” um último cigarro entre a catarse final do dia. Depois a altura das despedidas e o desejo de bons sonhos e o de sermos felizes… ;)

Adoro surpresas!! E foi um momentinho tão bom passado com as amigas de Amesterdam e Hong-Kong