sexta-feira, 30 de maio de 2008

O ponto G


Não, este post não é sobre o aumento da gasolina nem sobre o nosso primeiro a fumar ervas aromáticas em aviões (sorry, cigarros!)... é mesmo um post sobre sexo! Ahhhh e a foto não é do ponto G, mas pode ser de um ponto que dê prazer!

Passeando pela net vi algures “alguém me diz onde é o ponto g?” e resolvi dividir a coisa com as colegas de trabalho. Não acho normal que nos dias de hoje um moçoilo não saiba onde fica o dito do ponto… ou é?

Beim, estávamos nós, sem medos e a bom som, dissertando sobre o assunto e entra o amigo Z. e diz:

Z: O ponto G?
Eu: sim Z. sabes onde é o ponto G feminino?
Z.: claro que sei, é aquele altinho rugoso que se toca ali, na esquina do colo do útero, a mais ou menos uns quatro centímetros da entrada da vagina.
Eu: esse mesmo. E o ponto G. masculino sabes onde fica?
Z.: eh pá, não sei se sei onde é o meu. Existe algum ponto G. Masculino declarado cientificamente?
Eu: claro que sim, Fica ali entre os respectivos e a entrada do back-side. Aquele altinho maroto que vocês têm.
Z.: Eh pá! Realmente depois de falares até consigo entender que sim, é uma zona que dá prazer. Mas o know-how feminino anda um pouco desfasado. Há muitas mulheres que se metem a fazer cócegas no nosso ponto G. e não têm a menor ideia de onde estão a mexer.
Eu: Tal como muito homens também não fazem ideia do que fazer com o ponto G feminino.
Z.: No entanto, a diversidade de pontos G espalhados pelo corpo masculino é quase tão grande quanto o prazer que eles proporcionam. Com certeza existem outras mil áreas que me levam ao nirvana, como a virilha, por exemplo. Sem falar no protagonista de qualquer história que se passe neste fálico universo da sexualidade masculina. Ele mesmo, o pénis.
Eu: e quais as outras mil áreas?
Z.: Tens tantas, eu quando estou com uma mulher que me excite realmente, vale tudo, até botar o dedo no meu respectivo.
Eu: Eh lá! Isso para um homem é difícil de admitir, geralmente os homens pensam onde a mamã botou o pó de talco ninguém bota o dedo.
Z.: para mim vale, mas só o faço com alguém com quem tenha muita intimidade.
Eu: Mas afinal o ponto G. masculino, que é o ponto de mais prazer, não te dá o tal prazer intenso?
Z.: Um beijo na nuca, uma lambidela e sussurro na orelha, um beijo na barriga… quando uma mulher me beija as virilhas e vai subindo, pelas laterais, fico sem ar… é tudo prazer intenso… eh pa! Vou trabalhar!

A conversa com o amigo Z. não me tirou dóvidas e apenas me demonstrou algo que todos sabemos. Afinal o ponto G. masculino e feminino cientificamente declarados podem dar prazer supremo, mas tudo num homem é ponto G… tal como nas mulheres ;)

P.s. e ainda dizem que os homens não falam de sexo com as mulheres???? Depois desta conversa as minhas colegas ficaram de boca aberta e mudas ;)

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Breves


Green, Green!
Yellow!?
Pink!


Foi mais ou menos isto:

Personagem do sexo masculino (PSM) - Oi Gata, linda, afinal estás por aqui tão perto e eu só agora é que abri a pestana e nem sei bem porquê!

Personagem do sexo feminino (PSF) - Oi Gato, uuuaaauu afinal tu és mto interessante!És um ser pensante, com personalidade vincada, lindoooo de morreeeeeeeeeerrrrrrrr!!!

Porque raio só agora abriu a pestana, que foi que lhe deu? Será que ficou available agora? Não tou a ver o click que se lhe possa ter dado!!... Mas!.... Bora lá ver!

PSM - Ah e tal umas massagens.... Ah e tal um miminho no colinho a ver o mar e vá lá mexe-me no cabelo que eu deliro!!!...

PSF - Ok baby, dou-te isso tudo (e mto mais se te interessares realmente) porque eu tou a adorar estar contigo numa boa! :)))

PSM - Pronto, mas agora já não me apetece, porque sim. Obrigada por teres acordado aqui o bicho, mas pronto, ficamos assim combinados. Ah, e também não interessa nada informar-te desta decisão, porque sim. Pelo que não te procurarei mais, nem responderei a sms ou telefonemas.

PSF - ãh!?!? Huummm? QuÊ?? Bora lá talkar!! Umas trincas pelo meio sem compromissos e tal, também não!?

Boilas! Cum caneco, cum camandro, raios e coriscos, cua breca!!
E as babes é que ligam o complicometro!??!?!?!?!??!

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Nothing stays the same?


O Amor do Papai e da Mamãe foi um dos exemplos vivos que tive de AMOR com todas as maiúsculas a tilintar. O Papai amou a Mamãe intensamente e, até ao último momento, como se ela fosse a única mulher a existir no planeta. A Mamãe amou o Papai com um amor bonito, terno, meigo e calmo… dois amores tão diferentes que encaixavam tão bem. Massssssss, há sempre um “mas”, tal como em todos os relacionamentos, nem tudo foram rosas pois existiu entre eles um gaijo… o FDP do ciúme.

Fazia sentido, pois o Papai era mais velho que a mamãe apenas 18 anitos. Para ajudar esta diferença de idades, a Mamãe não era assim faz conta gira, era vomvasticamente linda. Ter em casa uma mulher calma, inteligente, meiga, e linda como tudo, que nos apoia, que nos escuta, que nos ajuda e nos ama, quem a quer perder? Compreendo, mas não quer dizer que aceite o belo do FDP do ciúme.

O Papai não era assim faz conta giro nem gato, era um gatão!! era mesmo um best em questão de beleza masculina. Aquela insegurança sempre me fez confusão, mas era assim que ele vivia, com medo de a perder e com um desejo imenso de não a dividir com ninguém. O amor dela era só dele e ponto.

Ora, o Papai fez a sua última viagem há 5 anos. A vida continuou sem ele e isto tudo para vos contar que descobri que, daqui a uns anos (ou seja, um cadinho mais), estaremos com as mesmas dúvidas e as mesmas questões vivenciais, que tivemos na adolescência e que continuamos a possuir hoje em dia.

Esta foi a conversa:

Mamãe: Oi Luves.
Eu: Oi Mamãe, como ta tu?
Mamãe: bla, bla, bla, bla e bla

Eu saio à Mamãe na questão de falar pelos cotovelos, mas aprendi com ela o saber escutar ;)

Eu: Hummm, Hummmm
Mamãe: bla, bla, bla apaixonado por mim
Eu: Humm, hummm Quem? Ondi? Como? Porquê?
Mamãe: Não estás atenta, o vizinho mandou recado que está xonado por mim.
Eu: mas isso é muito bom, e tu estás xonada por ele?
Mamãe: Estás parva? Achas que eu tenho paciência para esta coisa dos desamores???
Eu: Oh Mamãe e quem te diz que vai ser um desamori? Heim?
Mamãe: Oh filhota na pa de paciência a esta altura do campeonato para coisas do coração, não me apetece, estou bem como estou. Deixa-me curtir este momento.
Eu: Oh Mamãe mas não te sabe bem saber que com os teus singelos setentas ainda mexes com um homem???
Mamãe: faz bem ao ego, sim. Mas nesta idade filhota, as coisas não são como pensas, mexem de outra forma, mais sobre sentimentos do que pelo fulgor de desejos ou entusiasmos libidinosos. Mas gosto de estar calma e quieta sem amores ou desamores, deixa-me saborear este meu estado.
Eu: E quem sou eu para te contradizer, Mamãe sabe!!!!

Há quem pense que isto muda! Pode mudar a maturidade, pode mudar a calma, pode mudar o mundo, mas os desamores serão sempre desamores, paixões serão sempre paixões, amores serão sempre amores e sexo será sempre sexo, independentemente da idade.


Isto é só para avisar a miúda (de 25 anos) que fez uma cara de enjoada e referiu “canojo” enquanto falávamos sobre sexo aos 70, o que a espera, pois a vida não acaba a partir de uma certa idade como ela imagina!!!

terça-feira, 27 de maio de 2008

incómodos


No coffee break do work, esta foi a conversa

Colega loira: Oh P. o que é que incomoda aos homens?
Colega P..: A mim incomoda-me que a minha mulher coloque a loiça na máquina de lavar, ela coloca aquilo tudo mal.
Colega loira: e tu Z.?
Colega Z.: Eh pá! A mim incomoda-me o ralo da banheira entupida. Ter de tomar duche com água quentinha e os pés numa pocinha de água a gelar, não dá!
Colega morena: podes sempre comprar aquele produto para desentupir o ralo e até desentopes a alma.
Colega Z.: Tens um piadão…
Colega P. e tu loira? Que te incomoda?
Colega loira: eh pa! Que andem na cozinha a petiscar as batatas fritas e a levantar as tampas dos tachos para ver o que tem dentro.
Colega morena: e tu C.?
Colega C.: eh pa! Abrir uma gaveta para tirar uns boxers e sair-me um soutien. Odeio quando me misturam a roupa interior.
Colega loira.: E quem arrumou?
Colega C…. pois!
Colega morena: eh pa! A mim o que me incomoda é quando as torradas caiem com a manteiga virada para o chão!!!!
Colega C.: Ai e se tiver doce?
Colega Morena: do pior!!!!
Colega loira: e tu R. que te incomoda?
Colega R.: ser o último a tomar duche. Já está tudo utilizado, a cortina está a pingar o espelho está embaciado. Rrrrrrrr incomoda-me mesmo ser o último no duche.
Colega morena: e que tal duche a dois? assim não és o último.
Colega R. A dois? Tu e eu?
Colega morena: já te estás a esticar!!!!
Eu: bem pessoal, vou fumar um cigarro.


E lá desci até à garagem. Sim, no bunker a malta fuma nas catacumbas e pensei… este pessoal fica incomodado com tão pouco.

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Disponibilidade


A malta não tem disponibilidade nem está disponível para qualquer tipo de acontecimento que não seja trabalhar imenso, intercalado com umas free partys em mayotte, comores e por aí.

Ok, a malta recusa convites porque não tem tempo. Descura coisas e pessoas importantes na vida porque não tem tempo. E este descurar inclui a atenção dada à própria malta. Não tenho tempo por muito que queira. Nem com a ajuda da Maria isto lá vai.

Contudo, hoje arranjei tempo, tive de o ter, tive de arranjar. Recebi um telefonema do R. para almoçar. E teria de ser!! Entre ir a correr do edifico tal das segundas e o bunker teria de ter tempo para almoçar (coisa complicada no meu dia) com o meu amigo R.

Isto tudo devido ao moçoilo ser um piqueno que conheço há largos anos e nos últimos dois está indisponível (não por falta de tempo, mas por estar enfaralhado do pipipnho). Quando o moço telefona porque teria de almoçar comigo urgentemente porque tinha uma novidade para contar… o R. tem uma namorada nova… UAU!!!!! até se-me-avaralheissimis!!!!

Voltemos dois anos (talvez um pouco antes) atrás. O R. era casado com a I. e tudo corria às mil maravilhas. O casal perfeito, todos pensavam que sim. Ora um belo dia a I. levantou-se e às nove da matina (depois de uma noite de amor com o R.) referiu…

Meu querido, vou viver com o F. e levo o miúdo comigo... e saiu porta fora!!!!

Como podereis calcular a casa caiu, e com ela caiu o R. Este tipo de separações (bem feitas) são sempre do melhor para enfaralhar o pipinho. A partir desse momento o moço deixou de estar disponível. Completamente off e passou por várias fases.

A primeira fase foi a de rolar nos lençóis com toda a moçoila que se-lhe-passasis assim pela fronha (o moço é assim faz conta giro). A segunda fase foi a da galderice: Sair imenso, beber imenso, dormir poucas horas e ir trabalhar no dia seguinte e rolar nos lençóis com algumas moçoilas. A terceira fase foi a de ficar em casa, curtir a dor e fazer uns telefonemas e rolar nos lençóis com algumas moças da agenda cultural dele.

Até aqui, o moço passou por todas as fases típicas (não pela mesma ordem dos outros, cada um tem a sua) e nada de novo. Incluído com este modus vivendis, para o moço as mulheres não passavam de umas enfaralhadas do pipinho (reparem, não era ele, eram elas) e todas as mulheres lhe faziam confusão. Eh pa! Para ele eram umas exigentes, ciumentas, possessivas, ansiosas, complicadas etc e etc e tal.. Pensamento tão típico de quem levou um coice no estômago e depois passa por estas fases.

O estranho, era a notícia de hoje!!! E como sabem, os meus pipinhos são uns inquietos e lá fomos almoçar.

Conversa

R.: Ela é super inteligente.
Eu: Humm, humm!
R.: Linda!
Eu: Humm! Hummm!
R.: Simpática
Eu: hummm! Hummm!
R.: Eh pa! Incrivelmente linda
Eu: só podia!!!

Durante o nosso almoço, a nova namorada ligou 5 vezes as quais o amigo R. desligou o telefone e mandando sms a seguir. E eu a pensar… Porque não atende o moço a gaita do tó-fone? e se ele manda sms a seguir porque insiste ela?

Continuamos na amena cavaqueira e o tó-fone toca de novo… e eu peço “oh gaijo, atende la a gaita do tó-movel” odeio tós a tocar desalmadamente.

Ela: bla, bla, bla
Ele: com a jiminy
Ela: bla, bla, bla
Ele: uma grande amiga minha
Ela: bla, bla, bla
Ele: oh amor!!!! é uma grande amiga minha!!!
Ela: bla, bla, bla e... desliga o telefone, ele ficou triste e eu questinei:

Eu: está tudo bem?
Ele ela ficou com ciúmes.
Eu: oh gaijo! em que é que esta moça é diferente de todas as outras?
Ele: esta é especial
Eu: A única diferença que vejo da tua namorada para as anteriores é que esta é enfaralhada dos pipinhos. As outras com quem rolavas nos lençóis não tinham tempo de ter ciúmes, nem tinham tempo de estar enfaralhadas dos pipinhos!
Ele: Eu sei, é um pouco contraditório do que sempre falei, mas é o que sinto.

Não pensem mal do meu amigo R., para amar é necessário esta disponibilidade… e com essa disponibilidade para amar, vêm incluídas no pacote aquelas questões dos desamores. Eh pa! Haja paciência!

domingo, 25 de maio de 2008

Sunday Night


Hoje,



Sunday Night... A malta está cansada, chegou de Madagáscar de rastos, não lhe apetece nem mexer a unha. A Maria está numa ausência que nem vos conto.


Não me apetece escrever, não tenho novidades para contar, nem sobre Bolas de Berlim com Chocolatis, nem tão pouco tenho algo para reclamar (apesar de algumas raivinhas lá no intimo do meu ser). Mas hoje não me apetece.


Era só para dividir este meu momento com vocês...


Momento esse, que irá ser passado nas próximas horas, no meu território preferido (o sofá) a olhar fixamente para a TV, a saborear um porto e oito pasteis de nata (daqueles ali de Madagáscar quentinhos, que estalam na boca e que a nata se derrete na lingua quando a encostamos ao céu da boca).




SIM, eu disse oito, roam-se de inveja ;)

Sunday Flowers

sábado, 24 de maio de 2008

Bola de Berlim com Chocolatis!


Hoje foi solicitada a minha presença em Madagáscar "Ai e tal vou de férias, não te importas de ir contar moscas por mim?", a malta como já está habituada a contar moscas disse "ok". Cheguei à hora marcada e começo a preparar as coisas para contar moscas (tinta, porque a malta pinta as moscas para não ter de repetir a contagem), de repentemente... "fumava um cigarrão!" vou à mala "isqueiro? na pa!", "tabaco, nem vêlio", "papelinhos para enrolar, também nope". Ok, temos de ir visitar o António.

Chego à Tabacaria do Antonio, que fica ali em frente a Chocolaterie da Dª Tuesa e peço:

Eu: Bom dia António é uma branca! (esta saiu-me mal)
António: Branca? Não vendo!
Eu: Eh pa! Vá lá, dá-me uma onça "for people who don't need a brand"
António: Ahhhhh!!!!

Lá volto ao local de contar moscas e começo a contá-las. Lá pelas 14 vou almoçar na Esplaneiting. Ora, almoçar em Madagáscar é divinal, é uma paz imensa estar na Esplaneiting, ver o rio e o solzinho a aquecer.

Como sabem, ou não! Madagáscar é repleto de lindos lêmures. Primatas simpáticos, muito parecidos connosco (nem que seja pela unha, pelo polegar posterior, pela visão a cores e pela forma social em que vivem). A ilha é divinal e bem frequentada (na maior parte das vezes). Vibra-se "coltura" em Madagascar. Temos babuínos de todas as nações em busca de "Coltura".

Babuínos de outra nação: hello, sabes dizer ao eu onde fica a colection do Bernardo?
Eu: tout in front!

Contudo, hoje, Madagáscar foi atacada não só por babuínos de todas as Nações, mas também pelo simpático povo português. Posso mesmo afirmar que Madagáscar estava muito bem frequentado a nível de população portuguesa.

Ora, estava a je sugadita a contar moscas e pelo canto do olho vilio. É difícil não ver um homem de 1,80 incrivelmente lindo a falar ao telemóvel. A malta não ligou muito e continuou a contar moscas.

Passadas duas horas o belo do Adónis entra no local do crime de contar moscas e como a malta é uma moçoila profissional aproximou-se do moçoilo. O doce estava na faixa de rodagem da moça, tinha 1,80 m, pele dourada, olhos claros, cabelo grisalho e revolto, calcinha de linho cinza, blazer desportivo e belo do téni (leia-se tennis) da nike.

Eu: Boa tarde, bla, bla, bla (explicação simplificada do que estou ali a fazer) e a pensarshiti! Tenho o cabelo numa lástima, não estou pintada e estou nos meus míseros 1,60.. bah!
Moço: Obrigado pela explicação!!! (E esboça um sorriso divinal)

Fiquei estupidafacta e avaralhada e quando me vou a afastar do moço, reparo que ele abre ligeiramente os olhos como aviso. Olho para trás e ia atropelando uma mosca que vinha na minha direcção…

Ele foi fazer a sua voltinha de reconhecimento ao local onde se contam moscas e eu com vontade de cortar os pulsos e bater com a cabeça na parede com a figura idiota.

O moçoilo lá saiu, fechei o local da contagem de moscas e fui a correr à chocolaterie da Dª Tuesa. Peço uma bola de Berlim com chocolate, daquelas fofas que quando se dá uma trinca juntamente nos passa pelas papilas gustativas o belo do chocolatis derretido…

Fechei os olhos ao sabor do doce e pensei … gaita!!! Deveria ser proibido ser incrivelmente lindo, ter uma voz tão doce, um sorriso divinal e ser tão polite!!!!

Quando a Miss Daisy chegou, eu só falava em Bolas de Berlim com chocolatis derretido, ao que ela não achou piada nenhuma e só pedia para eu parar com a cumbersa porque a moça está mais virada para os Pasteis de Nata.

Não percebi!! se Madagáscar é a terra do Pastel de Nata porque se virou ela para mim “ai e tal, vamos comer um gelado”????? Dóvida!!!!

Mãe é Mãe


sexta-feira, 23 de maio de 2008

Las Vegas


Na passada noite de 21 de Maio (belo mês em que tudo desabrocha, incluindo as nuvens e, portanto, o seu conteúdo!), ficou decidido que iríamos visitar o primo a Vegas.

Saio de Mayotte para ir buscar a prima a Queen’s e seguidamente apanho a amiga do Soho e a Jiminy na Down Town. Pelo caminho contacto a amiga de Hong-Kong que estava a jantar com a amiga de Puket e lanço o boato (verdadeiro) de que a noite seria passada em Vegas!!

Depois de fazer as devidas escalas, parámos no restaurante Indo/Italian (suspeita conjugação) ali para os lados de Hong-Kong para beber coffee com a amiga de Hong-Kong e a de Puket – que – queria – ser – de – Amesterdão - porque - sim!!

Beijos, abraços, cumbersas em dia sobre a semana e siga lá para Vegas by night onde os tinis são a 0,80 cents! Tinis e não ténis como desejaria a amiga do Soho!

O caminho foi rápido, passando pela Charneca – ups, quero dizer Hollywood em letras garrafais e cintilantes! - mas o odor atmosférico é que foi árduo, pois Vegas fica ali mesmo na saída onde o ar está do pior!...

Chegámos a Vegas onde os neons não piscam, mas dizem “Caixa Agrícola”, onde se pode passear no meio da rua e onde o Bar mais giro é o Bar onde o primo trabalha (apesar de Vegas só ter dois bares). Abraçar o primo, surpresa de ver a prima mais nova de Vegas e tentar conversar no meio da multidão.

O Bubas bar é um mundo. Na paz de Vegas o burburinho sentido previa que Vegas estava alive!! Ou no mínimo a população de Vegas estava toda no Bubas!!!

Esplaneiting com elas, porque a noite estava botima, e entre tinis, “mines” (das pequenas ;)… ) e tostas mistas, as babes riam imenso e socializavam entre si, esquecendo um pouco os locais que estavam entusiasmados por ver estrangeiras de toda a parte do mundo!!

Chegou à hora de voltar e deu apertozinho no coração. Teríamos de dar xaus às primas e primo de Vegas e a Jiminy estava triste por ter de se despedir das suas 3 filhas tão recentemente descobertas.

Caminhamos todas por entre as ruas calmas de Vegas, ouvindo o cantar dos frogs que estavam numa ópera pegada e destabilizavam o silêncio de Vegas.

Pelo caminho decidimos que Vegas, será sempre Vegas, e voltaríamos mais vezes para matar saudades do Primo lindo e das primas lindonas de Vegas.

A Jiminy concluiu que terá de visitar as filhas mais vezes conforme manda a justiça. E neste futuro matar de saudades teremos tinis e “mines” e mais “mines” e tinis para saborear as Nôtes de Vegas by Night ( sorry about the redundância!!)

terça-feira, 20 de maio de 2008

Expectativas femininas dos miúdos...


Depois de todo o stress acumulado de noites dormidas em 5/7 minutos, devido a trabalhar imenso, Partys free em Mayotte e Comores, surprises no birthday da nossa Miss Daisy, a malta decide tirar a noite só para ela.

Estava mais que decidido, hoje não escreveria nenhum texto para o "bloguis" e iria tirar tempo para mim. Banho de espuma, jantar em condições, fumar uma cigarrilha e beber um Porto. Seguidamente, pesquisar material para a investigação há muito tempo colocada de parte.

Depois de banhos, jantares com a Maria (a Maria hoje esmerou-se) a malta senta-se no pc, tenta fazer o trabalho de investigação ao qual se propôs. Pega no livro e entre o Porto e a cigarrilha, esbarra com o texto.

"Lara Croft e Barbie: O mesmo Combate?
Até mesmo heroínas mais “feministas” do que a célebre boneca propõem o mesmo modelo de corpo perfeito.
Lara Croft, a aventureira do videojogo Tom Raider, associa um rosto perfeito, uma silhueta longilínea de adolescente, umas pernas estupendas, oportunamente reveladas por uns calções vagamente militares e, enfim, uns seios volumosos e não submetidos à lei da gravidade, porque mantêm uma imperturbável imobilidade, apesar de todos os saltos e corridas que ela executa para sair dos labirintos ou para destruir os seus adversários virtuais.
É de perguntar qual será o efeito desta criatura sobre as exigências femininas dos garotos e adolescentes que a viram durante centenas de horas numa fase sensível da sua sexualidade. E também sobre a imagem do corpo das raparigas, igualmente atraídas por este videojogo…! "
Christophe André e François Lelord

Ok, a malta depois de ler este pequeno texto recordou que desde muito cedo jogava o Tom Rider com o sobrinho. O meu sobrinho sempre comentou com todos os amiguinhos e família que a tia Jiminy é parecida com a Lara Croft (ao que eu nunca liguei porque era apenas uma boneca). O miúdo cresceu e há pouco tempo tornou a verbalizar:

Sobrinho: Tia Jiminy, é mesmo parecida com a Lara Croft
Eu: Obrigado sobrinho, se tivermos em conta que o filme foi feito pela Angelina Jolie!! Foi o melhor elogio que alguém alguma vez me deu!!
Sobrinho: Nã tia, eu acho a Angelina Jolie feia. Tu és mesmo parecida com a Lara Croft do jogo.
Eu…..?!

A coisa ficou por ali e não liguei. Hoje, depois de ler este texto resolvi tirar as "dóvidas". Apanhei o sobrinho no Messenger e questionei.

Eu: Sobrinho? Porque achas a tia parecida com a Lara Croft?
Sobrinho: Oh tia, simples. No verão usas a trancinha como ela, quando tinhas o cabelo da cor do dela, eras mesmo uma cópia da Lara, agora resolveste pintar de preto, mas continuas parecida. Jogas à bola comigo, andas comigo de bike, corremos com o cão, mandas-te para cima de mim na areia da praia, sujamo-nos os dois, pulamos imenso e estás sempre pronta para fazer coisas comigo.
Eu: Ahhhhhh!!!!

Espero bem que os autores do texto já saibam a resposta para a pergunta “qual o efeito desta criatura sobre as exigências femininas dos garotos…?” Ou seja, eles querem é dividir com as moçoilas o sabor de fazer as coisas que mais gostam, ou não?

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Happy Birthday dear Daisy!!!!!

Hoje, um dia muito especial, a nossa Miss Daisy faz anos. A redacção do Galhunço decidiu colocar umas flores no Jardim da moça mai linda de Mayotte e cá vai...



E foi assim mesmo a correr muito rápido que a tia Cila, liga pró bado bife e lhe diz “ rápido rápido mexe-me esse cu oh bife dum raio, que ainda tens de escrever um texto de parabéns á tua sista e a culpa é toda da doida da Marta que se esqueceu de te avisar ontem! Tens 15 minutos (enquanto eu tomo banho, faço o jantar, arrumo a sala e tiro os rolos do cabelo) para escreveres o melhor texto da tua vida em dedicação á Tatche.”

Mas é que foi mesmo assim tal e qual, sem vírgulas nem pausas, que ela, toda acelerada, me gritou aos ouvidos… Até parecia que estava aqui em Londres mesmo a meu lado! Não tive tempo para nada, nem para respirar, vim a correr para o computes da net para muito rapidamente escrevi a maior certeza da minha vida, que tenho a melhor Bada do Budo!


Não é ao acaso que tens os amigos que tens.
Love do Bado & muitos Patabens


Neste dia muito especial comemora-se o nascimento de uma pessoa, que em particular para mim, tem um significado muito especial.

És e sempre serás, uma fonte de inspiração para mim e uma amiga com quem sempre poderei contar! Muitos parabéns e que este dia seja passado junto de quem mais amas. Beijo muito especial e um xico daqueles nossos ;)

Guerreiro Low Profile


Linda!
Today, tomorrow, and everyday after... I wish you all the best!!!
Your friendship means so much, it always has, it always will.
Happy birthday
Mr. Matos (Salsa Teacher)


Parabéns amora!!!
Que estes XX anos te tragam tudo de bom e o que mereces!
E bem...se os anteriores te trouxeram algumas desventuras, descansa porque eles já lá vão! E enfim, foi porque tinha de ser... e apesar de na altura nos custar e desejarmos que nunca nos tivesse acontecido, é isso que nos ajuda a crescer, a amadurecer e a saborear ainda melhor as coisas boas que estão para vir...

Os anos vão passando, vamos crescendo, vamos ganhando umas coisas, perdendo outras...mas que perdure sempre esse "bom feeling" e disposição! Essa vontade de fazer coisas, de mobilizar, de partilhar, de "mexer carnes"! lolo

Ontem quando saímos do Havana com aquela vontade de que a noite não acabasse ali, tive uma projecção, uma visão: nós daqui a muitos anos (mesmo já com cheesecakes e filhos à mistura) a curtirmos as nossas noites de salsa, a darmos as nossas voltinhas de bike, a passarmos uns fins-de-semaninha nomeadamente em Melides e apanharmos ainda umas valentes pielas de Tinis..loll

Acho que sim, acho bem provável que aconteça! Portanto, no dia de hoje quero brindar a isso: a ti, a que essa boa disposição perdure e q que a nossa amizade se vá fortalecendo cada vez mais (a pontos de aos 70 anos ainda andarmos a contrair o glúteo na Praia de S. Torpes, em topless)! (bem, fora os outros brindes todos q`agente sabe, mas bora lá não abardinar isto)

Que sejas muita feliz! E pá... que eu esteja sempre ao teu lado!
Adoro-te
A tua Framboesa



Favorite of them all... Favorite of all time... forever here.. forever with you. Aquele Beijo

Dui



Salve o dia 19 de Maio de 1980!!!

Escrevi estas linhas no ano de 2004. lembras-te!!! Não podes, pois nunca cheguei a dar-te esta carta, ao certo não sei porque… no entanto aprendi contigo que os sentimentos devem ser sempre partilhados, por isso aqui vai!

"Quando apareces-te não questionei nada, apenas aproveitei cada momento, pois eras e és sinónimo de mudança, de energia, uma folha virada, um novo capítulo de vida, daí seres a minha estrelinha!" Prometo que desta vez não a guardo para mim e dou-lhe o fim a que estava destinado, chegar até ti.

Muitas coisas aconteceram desde esta altura, muitas histórias "escrevemos" e muitas deixamos por "escrever", o importante, é que continuamos cá e com uma nova força, quase que como um renascer!

Só quero, hoje, dizer-te que és muito importante para mim e que prezo muito a nossa amizade. Com isto claro, que a ti, só te desejo tudo o que existir de melhor nesta vida!

Beijos da Pingonette!



Biga,

Eu não sou de verbalizar afectos (como sabes). Sou mais de acções. Contudo, aprendi na vida, e ao entrar na Medonha Idade, que as coisas precisam de ser verbalizadas, também. Contigo reaprendi coisas que já tinha esquecido.

Lambiu do fundo do coração

Jiminy

domingo, 18 de maio de 2008

sábado, 17 de maio de 2008

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Those little moments... II


Esta semana...


saio de casa, entro no metro, lá me encosto e tento descansar (aqueles 5/7 minutos que tenho para pensar na vida), reparo que está toda a gente a olhar para os meus pés:

E eu a pensar… que se passa aqui??

Olhei para o pezinho delicado da moça e descubro que levo uma meia de cada cor… ok, até poderia ser uma castanha escura e uma preta, mas não, tinha de ser uma laranja com riscas brancas e outra branca com riscas laranjas….

E penso... esta gente não entende o que é ser fashion… bah!



Num fim-de-semana destes, na cozinha com a Maria…

Maria: Jiminy, botas a roupa na máquina?

A malta botou a roupa na máquina, colocou o belo do detergente e cheirinho e liga a dita, e ela nada, mau!!!

Eu: (a olhar para a maquina como um burro a olhar para um palácio)
Maria: Então?
Eu: acho que está avariada!!!!
Maria: (larga o fogão, desloca-se até à maquina e fecha a porta da dita)
Eu: (continuo a olhar para a máquina)

e eu a pensar “se eu não vivesse com a Maria que seria de mim????!!!!”



Conversas de gaijas no local de trabalho:

Gaija Loira: eh pa! A idade é do catano! Uma gaija fica com brancas em todo o lado. Já viste o mau aspecto de uma gaija ir dormir a sesta com um moçoilo mai novo e ele .. ups, vê uma branca onde não deve?
Gaija Morena: Se isso te incomoda, faz depilação total e pinta o cabelo e as sobrancelhas, e não vês brancas nenhumas. Nem tu, nem ninguém.
Eu: LMFAO (Laughing My Friggin' Ass Off (polite form).

Lá me levanto e vou até à sala do lado, dou de caras com o chefe e pergunto:

Eu: Xôtore, já estava aí há muito tempo?
Xôtore: Desde que as dúvidas existenciais sobre brancas começaram.
Eu: …..



Hoje recebi uma sms:

“oi doce, saudades dos teus beijos”
Repondi: “dava-me jeito saber o seu nome para saber se já o beijei”
Sms de volta: “desculpe, foi engano”



Adoro os meus pequenos momentos, são aqueles, além de muitos, que dão cor à minha vida e me fazem sorrir ;)




Sorry Majestade

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Filosofar por aí


Hoje, passeando por aí, vi alguém parecido com outro alguém, que me levou a pensar.. onde andará o G.? o moçoilo fez parte integrante da nossa vida durante um intenso ano e depois evaporou-se. Todos nos questionamos por onde andará o G., mas ninguém tenta saber nada dele. Estranho!

Isto levou-me àquele dia passado com o G. lá para os lados de um cadinho à frente de Mayotte (leia-se linha, que todos percebem). O convite foi feito porque o “bijou” ía lanchar com uma moça amiga, e pelo facto da dita ser casada, o moçoilo como é respeitador leva a amiga “eu” de arrasto para não ficar mal visto perante o marido da moça e perante a sociedade. Não estou eu a pensar…foi-me dito que a minha presença era solicitada apenas para não haver confusões.

Enquanto esperávamos que a amiga saísse do trabalho, fomos os dois ver-o-mar, passeando lado a lado em amena cavaqueira:

Gaijo: Tenho de ver se acabo o doutoramento para o ano, senão não acabo mais aquela gaita.
Eu: Ainda andas a ler Platão?
Gaijo: além do Platão, tenho em mãos vários autores.
Eu: Mas o que estás a ler agora?
Gaijo: Ortega. Mas tive de passar por kierkegaard, Hegel, Fuerbach Marx e mais alguns, quase todos ao mesmo tempo.
Eu: Eh pa! Nem me fales do Kierk que até se me arrepio toda. O moçoilo era um cadinho depré, mas lá dizia umas coisas.
Gaijo: A única parte que gosto nele, é quando conclui que o homem se reconhece finito enquanto parte e momento da realização de uma totalidade infinita, porque a vê como uma etapa de algo maior, cujo sentido é infinito.
Eu: Ok concordo, mas se reparares na base das tentativas filosóficas que se deram ao longo da história, estamos habituados a ver pensamentos de ordem da reforma do conhecimento, da política e da moral. Com o Kierk não encontro esse tipo de motivações. Se reparares, isso evidencia-se quando o gaijo reage ao sistema hegeliano. Para mim o pensamento do gaijo era mais de revolta contra a ideia do próprio sistema e o que este representava em si. Sem falar que era meio depré.
Gaijo: Eh pa, mas prefiro autores como o Popper e o Ortega.
Eu: Ok, filósofos do século XX

De repente entramos num túnel, onde do outro lado ficava o mar. A Malta numa tentativa de desbloquear a conversa diz na paródia…

Eu: Uhhhh! Um túnel, as coisas giras que se fazem em túneis!
Gaijo…. (com cara de assustado)
Eu… (ok, o moço ainda tem um ataque cardíaco)

E lá fomos ver-o-mar, Eu ele o Ortega e o Popper.

Depois de ver-o-mar e da amena cavaqueira, lá voltamos para o carro para o encontro com a amiga do gaijo. Um frio de rachar, a je de manga curta em pleno verão (normal!!!!) e caladinha que nem um rato… dizer “estou com frio” estava fora de questão… o homem ainda se me "morriassis" nos braços.

Eis que o moço abraça a je, pois não havia casaco e percebeu que a je estava com frio. E meus caros, foi o abraço mais tenso que algum homem alguma vez me deu (nã, consigo descortinar mais um ou dois). Percorremos o resto do caminho em silêncio e quando chegamos ao carro questiono:

Eu: Oh gaijo, tu não estás muito à vontade com uma gaija!!!
Gaijo: nota-se muito?
Eu: Nã, impressão tua.
Gaijo. Yap, acho que desaprendi estas coisas simples, desde que levei o último pontapé no estômago.
Eu: amigo, o que se desaprende volta-se a aprender, é preciso é que a malta queira.

Lá fomos ter com a amiga, socializando com o Popper e com o Ortega e ainda hoje penso... será que o moço reaprendeu? Penso que não, deve andar ocupado com o Popper e com o Ortega ;)

terça-feira, 13 de maio de 2008

A Bini-cicleta


A malta anda em contenção de todo o tipo de tustos… é que isto não dá para mais. Como sabem o meu Bogas, é gajo para aquecer da mona. Este ano, já me deu duas ou três dores de cabeça e ainda só vamos em Maio. O homem "deussi-lhe" umas aquecidelas exageradas que o levaram ao limite, lá lhe saltou a tampa e ficina com o gaijo.

Prevendo que a situação possa perder o controle, e o gajo aquecer mais uma vez, o que fará com que o encoste às boxes, a malta pediu a bini-cicleta emprestada ao Bro. “Ai e tal, Bro eras gaijo para emprestares a "Bini" à Sis” e o Bro emprestadou a "Bini" à Sis.

Ok, nem tudo são rosas e a "bini" tem o volante a rodar tresloucadamente, ou seja, não está fixo e tem um pneu em baixo. Gaija que é gaija agarrava na "bini" e metia aquela gaita direita. A malta até é gaija para "fazerlio" mas, existe um moçoilo que tem uma "ficina" na rua da je, mesmo aqui de ladecos, e não é que o moçoilo tem uma "bini"????

Ora, a malta pensou com o seu colar de botões:

Eu: Eh pa! Não era mal pensado eu pedir ao moçoilo para botar a "bini" XPTO, que achas?
Colar de Botões: Olha, nunca falaste tão bem, para quê teres o trabalho? pede ao moçoilo! Esta tua mania de seres uma gaija que faz tudo sozinha!!!

Devido a esta conversa com o meu colar de botões, a malta lá pediu ao moçoilo se lhe arranjava a "Bini". Isto foi há... (xa pensar……) só sei que foi quando a Maria foi de férias... talvez mês de Março? Estamos em Maio! Ok, a malta não tem tempo e a "bini" está paradona aqui em casa.

Além da Maria, lá temos a "bini" cá em casa comigo. A gaija não pára quieta, partiu algumas coisas e já se mandou, várias vezes, para o chão. A gaija é assim faz conta hiper-activa.

Hoje, quando cheguei estacionei o carro e o moçoilo da "ficina" esperou por mim (esqueci de dizer que o moçoilo é assim faz conta giro, mas numa faixa de rodagem que não é a minha)

Moçoilo: então? Quando traz a sua "bini"?
Eu: Pode ser quinta?
Moçoilo: Claro que pode, traga a hiper-activa e depois pode vir buscá-la no sábado!
Eu: Combinado!
Moçoilo: Está a ver? se tivesse a "bini" pronta, hoje tinha ido andar comigo, acabei de chegar da minha voltinha de bini.
Eu:…..(a pensar, que digo agora catano?) Eu trago a "Bini" na quinta-feira.
Moçoilo: Ok
Eu: Até lá!


Impressão minha ou o moçoilo anda a ver se dá umas voltas com a minha "bini"? Não lhe chega "bini" dele? Hummmm!

segunda-feira, 12 de maio de 2008

backwards and forwards...

Ok, hoje é segunda não é a minha terapia, é apenas um desassossego dos pipinhos.

Já estou farta que me paire um galhunço na mona e de levar com ele nos últimos tempos. Apesar de todas as estratégias e técnicas utilizadas para me livrar dele não estou a conseguir. O que está a dar cabo de mim. Ou seja, acho que estou a ver o mundo a andar para trás!!!!! O que além de me deixar irritada, deixa-me triste.

Ora, a malta chegou à medonha idade, apesar de ninguém dar por isso (nem moi même) e anda cansada de ouvir as mesmas conversas que ouvia há dez anos atrás em todas as áreas, politica, social e mais que existam. Elas são sobre o crude, o aumento dos bens essenciais, o govermo que não presta, os amores e desamores e a cusquice da vizinha. Ao que me leva a pensar, esta gaita parou no tempo????? Andamos nós convencidos que entramos no século XXI e o gaijo ainda não chegou????

A vários níveis, tanto social como profissionalmente, lido com pessoas que se consideram a nível intelectual, numa escala de 0 a 20, situadas nos 20. Ou seja, para este people as pessoas ao seu redor não passam de uns oligofrenicos, com o cérebro de um insecto ou no mínimo sofrem de escassez de desenvolvimento mental. Ao que penso... isto ainda está pior que antes, é um mal tratar o vizinho doa a quem doer. Há quem consiga lidar com o assunto, outros não!

Depois converso com people mais jovem, cujos constructos são mais retrógrados que os constuctos que o meu Pai tinha (o homem estava no século XXI) e a malta pensa… catano, a malta está a andar para trás!!!!

Vou no metro e a conversa à minha frente é sobre o Paulo Bento e sobre o Luís Filipe Vieira, como se os gaijos morassem lá em casa com o people que na amena cavaqueira fala deles. Para não falar das conversas sobre “os meus filhos, e os meus filhos, e os meus filhos” entre colegas, amigos e familia. E penso... o mundo gira à volta do futebol e “dos meus filhos, meus filhos"????.

Ok, a malta anda farta e esta gaita não pode ser verdade, eu não acredito que isto esteja a andar para trás. Eu a pensar que a esta altura da vida iria notar diferenças a vários níveis e nada mudou!!!!! Ou seja, acabou por ficar pior porque estamos a marcar passo????

Lixada da vida, faço um telefonema a uma amiga. Aquela amiga especial com quem divido os meus mais íntimos desassossegos dos pipinhos, e faço com ela a minha catarse sobre o assunto para ver se me livro do galhunço de vez, ao que ela me responde “eh pá! O problema só pode ser teu, só lidas com gente estranha” ao que eu respondo “não penso que seja um problema meu, eu tenho um Íman que chama o pessoal que viaja na maionese”… penso eu… será? Dóvida!!!!!

Ahhh... e era para dizer à minha amiga, com quem falei ao telefone e com quem irei fazer a minha catarse ao vivo e a cores esta semana, qual a probabilidade de entrares no metro e se sentar à tua frente uma senhora nos seus quarenta e poucos com Parkinson, na paragem a seguir entrar uma anoréctica que se senta ao lado dela e na paragem a seguir senta-se ao meu lado um senhor que no mínimo era esquizofrénico saidinho do Júlio de Matos????????? Íman!!! Só pode!!!!!

Ahhhh lembrei-me que a amiga não anda de metro... mas esta situação aconteceu passado 30 minutos de ter falado com ela ao telefone e só pensava… Nã, só pode ser Íman!!!!!

Those little moments... I


Estes são aqueles pequenos momentos que nos acontecem e que a maioria de nós já passou por eles, ou não!!!!. Os pequenos momentos com os quais temos de lidar.




Numa noite destas socializando numa festa com um moçoilo conhecido:

Eu:… (contorcendo-me)
Moçoilo: Eh pá! Dói-te alguma coisa?
Eu: tenho o belo do body interior na gaveta!
Moçoilo: eh lá! Fica um cadinho mal andar a colocar a mão no befe para tirá-lo da gaveta.
Eu: pois, e o que faço eu? não vou andar por aí com movimentos gays, né?
Moçoilo: eh pá! Pode ser que saias daqui bem acompanhada.
Eu: tens muita graça…
Moçoilo: Estás a ver? Da próxima traz o fio dental !!!

Decididamente, sem medos e sem receios, tiro a roupa interior da gaveta e rectifico a situação.



Sabem aquela festa barulhenta, com música em altos berros, onde todos falam estupidamente alto e para sermos ouvidos temos de gritar do fundo dos pulmões? E quando chega a altura de falarmos o povo cala-se e naquele preciso momento a musica desliga? Já passaram por este pequeno momento?

Gaija: eh pa! Mas afinal onde vais amanhã? (Musica alta, barulho imenso e ela a gritar)
De repente…Silêncio e……
Eu: (aos berros) Amanhã vou ao ginecologista!!!!!!!!!!



Uma nôte destas, cheguei a casa e mandei uma sms para a Miss Daisy:

“…só para te dizer que a palestra foi um sucesso”

Passou um minuto recebo uma sms no meu outro telemóvel, levanto-me e pensei “bolas, a Miss Daisy foi mais rápida que o pensamento” e leio:

“…só para te dizer que a palestra foi um sucesso”

E pensei…. Jiminy a ampola!!!! go back to them!!!!!!!



A vida é assim! Feita destes pequenos momentos, espero que se tenham lembrado dos vossos ;)

domingo, 11 de maio de 2008

Sunday Flowers

Honey why you calling me so late?
It's kinda hard to talk right now.
Honey why are you crying? Is everything okay?
I gotta whisper 'cause I can't be too loud

Well, my girl's in the next room
Sometimes I wish she was you
I guess we never really moved on
It's really good to hear your voice say my name
It sounds so sweet
Coming from the lips of an angel
Hearing those words it makes me weak

And I never wanna say goodbye
But girl you make it hard to be faithful
With the lips of an angel

It's funny that you're calling me tonight
And, yes, I've dreamt of you too
And does she know you're talking to me
Will it start a fight
No I don't think she has a clue

Well my girl's in the next room
Sometimes I wish she was you
I guess we never really moved on
It's really good to hear your voice say my name
It sounds so sweet
Coming from the lips of an angel

Hearing those words it makes me weak
And I never wanna say goodbye
But girl you make it hard to be faithful
With the lips of an angel

It's really good to hear your voice say my name
It sounds so sweet
Coming from the lips of an angel
Hearing those words it makes me weak

And I never wanna say goodbye
But girl you make it hard to be faithful
With the lips of an angel

And I never wanna say goodbye
But girl you make it hard to be faithful
With the lips of an angel

Honey why you calling me so late?


Hinder

Comores I


Beim, a malta este fim-de-semana foi aliciada pela Miss Daisy com a Mayotte Party II. A amiga de Hong-Kong mais a amiga do Soho passaram ontem pela downtown para levar a “je” para a party.

Indo as “jes” pelo caminho recebemos sms da Mis Daisy “ai e tal, estou no 5th avenue”… entram na rotunda, depois das vomvas viram à direita. Ok, lá vamos nóis.

Bla, bla, blas
Amiga do Soho: a malta vive no limiar da pobreza
Eu: Nã, os pobres vivem melhor do que nós, os pega-monstros (leia-se arrumadores de carros que nos sugam os tostões e não arrumam nada) ganham mais do que eu e tu juntas.
Bla, bla, bla
Eu: A vomva era aquela!!!!
Amiga de Hong-Kong: ups, passamos!!!!

Como sabem, a moça é decidida e vai dar a volta à rotunda e lá demos com o 5th avenue ali mesmo a seguir à vomva e perto do hotel “tal”. Beijos e abraços no povo, beuemos o coffee e siga para “la party”, mas desta vez foi nas Comores.

Chegamos à entrada da festa, e esta já estava aberta. Claro que demos com a falsa publicidade e afinal não era grátis nem free e lá pagamos e entramos. Ai desalento!!!! Geralmente o povo quando está numa discoteca ou num bar reclama “ai porque está cheio”, “ai porque está barulho”… desta vez era “ai, esta gaita está vazia”. Além de que nos espetaram o belo do cartãozinho ridículo com as bebidas marcadas, eu explico:

Podíamos consumir uma bebida por hora. Ou seja, quando entramos a bebida das 23 já tinha ido com os porcos, só nos restava a bebida da 0.00, da 1, das 2 e das 3. Ok, a malta não costuma beber, é raro beber, e costuma estar fora de questão, A minha religião não o permite. Perante esta coisa das bebidas por hora e cartanitos, a malta salta-lhe a tampa e vai até ao bar e pede a bebida devida “ai e tal, sirva-me uma cuba libre”… e já sabia no que ia dar. A cuba lá se foi, e a malta ficou com desejo de mais uma, e tinha de esperar ainda 15 minutos. Ou seja, fazíamos corridas para o balcão cada vez que o relógio dava a badalada… lindio!!!!

Pinotes e dançar imenso, A amiga das Comores e mais uma amiga saem mais cedo e nós saímos perto das 3. A “je” de cuba libre na mão e fomos todas ver-o-mar de mayotte. Lindio! Lá lixamos a vida ao gaijo de Xangai que estava a namorar no carro, mas que se lixe a malta queria era estar juntinhas (e ninguém namora a um sábado dentro de um carro virado para o mar! namora? Está mal!!!!)

A amiga de Hong-Kong, a amiga do Soho mais a prima da Miss Daisy despediram-se e lá foram de regresso. Fiquei eu e a Miss Daisy, eu mais em câmara lenta que outra coisa. Fiquei dormente para o resto da nôte. A Miss Daisy lá pergunta se eu queria ver televisão, mas as legendas andavam mais rápidas que o pensamento e os “zóios” já não queriam ficar abertos… “ai e tal, vamos dormir” A festa das Comores foi gira, não pelo local, não pelo ambiente nem pelo povão mas porque nóis fizemos a nossa festa…. E há imensos anos que não ficava tão dormente… aquele dormente em que tudo parece lindio!!!e tem fogo de artificio ;)

Hoje, seguido de um piqueno divinal lá nos mandamos para o quintal da Miss. Daisy e fomos cuidar do dito. Pintar muros e pintar a relva e pintar tudo o que desse. Depois desta canseira chega o tio que nos leva a um jantar de família ali para Londres by Night onde as tartes de maçã têm sultanas e gelado a acompanhar e os brigadeiros (que não são cabos) são servidos com chantily e gelado… hummmmm!!!!!!

Não foi a Mayotte Party II, foi as Comores! mas o meu domingo passado em Mayotte não o troco por nada ;)

sábado, 10 de maio de 2008

What a freakin morning!!!!!!!


Hoje, sábado....


Ontem à nôte Miss Daisy lançou novo boato verdadeiro Mayotte Party II e a malta quando acordou, pensou... “ok, dia de te pores faz conta gira e de te dedicares a ti”

A Maria não está em casa por isso estava mais do que decidido ser eu a fazer o belo do almoço. Ora, eu sou bem diferente da Maria. A Maria é mais virada para a haute cuisine, eu sou mais virada para o mais rápido, depressa e já!!! que a malta tem é fome.

Lá acordei meia zonza, lá para a hora do almoço, saltei o piqueno e vou para a cozinha.

Isto para vos contar que o meu amigo J. me ofereceu há uns tempos, aquele ovinho querido que se coloca no micro-waves e a malta tem um ovo cozido em 5 minutos. O amigo J. questionou várias vezes se o ovo não rebentava porque os dele rebentam no dito micro waves, ao que respondi que não tinha havido pó-bremas cá em casa.

A Maria já tinha utilizado aquilo e funciona. Por esse motivo, a malta resolveu oferecer aos parentes e a vários amigos o belo do ovinho. Era para lhes pedir as minhas sinceras desculpas mas aquilo é uma arma mortífera.

A malta vai até à cozinha e decide fazer o belo do almoço. Hummmmm????? Atum com vegetables cozidos. BOA! Rápido e simples que a malta está com fome danada. Bota os legumes pré-cozidos a cozer, bota o ovinho no waves e vai à sua vida. Quando volta à cozinha e passa pelo waves aquela gaita dá um tiro. Ia-se-me dando um ataque cardíaco… aquela gaita não mata mas assusta.

Ok, waves todo sujo e do pior mas não são mais teimosos que eu, hei-de comer um ovo cozido hoje. Bota o belo do ovo cozido a cozer à moda antiga e vai à sua vida…. Volta de novo à cozinha e o ovo tinha-se aberto e estava em muito mau estado….

Ok, esquece lá isso e almoça!!!!

Eram três da tarde quando a malta almoçou e só pensava “que mania a Maria tem de sair de casa aos fins-de-semana!!!!”

Estou para aqui a imaginar que da forma como a manhã correu como vai ser a tarde? “Vais ficar faz conta gira, vais!!!!!!” Vai ser lindio, já me estou a ver a pintar o cabelo de azul quando o objectivo é preto e nem vou falar de pintar a unha, ainda pinto a casa toda!!!!

de pequenino...

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Galos!


Quintal que me acompanhas diariamente, enxotai os galos, isto é, Galhunços da minha vegetação que isto não se aguenta!!!!

a) "Há precariedade no mercado laboral, portanto, o que temos para te oferecer é simples, não exige que mexas os pipinhos, mas eu quero qualidade no tratamento, blá, blá, blá...."
O que para mim se traduziu em saber-ser e saber-estar.
"Até é bem pago, independentemente de teres andando a estudar ou não, que a malta cá não olha a títulos académicos...."
Pronto, a parte da precariedade é very true, logo a Miss Daisy tratou de aceitar, mas apenas para ganhar umas forças extras (leia-se eurios) para continuar a procurar coisas mais estimulantes no que toca ao neurónio...

b) "O que temos para lhe propor é um pseudo estágio, uma formação, nesta área que não tem nada a ver consigo, mas para a qual também não preciso ter formação específica..."
Boa. Gastar guita num investimento que não sei se dou uma para a caixa...

c) "Miss Daisy, recebemos a sua candidatura, por favor venha a uma entrevista dia X à hora W...."
Ora cá está uma luz ao fundo do fundo do fundo (sorry, encravou) do fundo do túnel e lá vou eu apanhar transportes, dia de chuva, gastar guita que não há...
"Bom dia Miss Daisy, a vaga já está ocupada, no entanto não a desmarquei para que pudesse vir até aqui e preencher os nossos papelinhos."
huuummm!?!??!! o quê?!?!?! Não posso...

d) Na ocupação nova da Miss Daisy, até há pessoas engraçadas - não arrisco dizer "interessantes" - e um coordenador da sucursal do lado bem giro... e simpático.... e giro....e simpático..... só que tem uma cadeirinha de bebé no banco de trás.... baaahhhhh!!!

e) Gatos de olhos verdes que só sabem assanhar-se, tipo governo, ou ainda versão "cão que ladra, não morde"

f) Dores de dentes (como se os dentes doessem!!) e dentistas (de-facto-muito-bons) que levam aos 200 eurios por tratamento...

g)
Amiga de mim mesma: "Daisy, a minha superiora hierárquica vai parir e precisa de alguém para a substituir"
Eu: Uuuuuuuaaaaaaaaaauu!! Boa! Manda lá a minha pessoa, vou já lá contigo, o meu CV, toma lá!..... Então já está???
Amiga de mim mesma: "Pá... esqueci-e, não deu para lá passar, estou com muito trabalho.... ela já deve estar de licença de maternidade..."
Não posso, não aguento...

h)...............

i)......................

j)..........................

Baaaaaaaahhhhhhh!!! Quando é que me sai o euromillions????????! E o quando é que aparece o D. Sebastião montado num cavalo branco, saído do nevoeiro!?!?


Trincas


Podereis pensar que este post é sobre sexo, sorry, mas é apenas sobre trincas. Também não é uma crítica é um lamento…

Hoje estou avorrecida, furifunda e pó-seca… tudo junto.
Isto para explicar, como vocês sabem, que não dou trincas assim sem mai nem ontem e muito menos sem razão de ser. A malta ou dá a trinca em condições ou não dá.

Para tal, a malta tem certas regras, não trinca best friends, não trinca doces que estejam a ser trincados e muito menos pastéis de nata apetecíveis que sejam de outrem (nem que o outrem ofereça), e nem que me digam “ai e tal, podes trincar porque o outrem não quer”

Ok, a malta é toda conscienciosa e mantêm esta religião desde que nasceu (lá fez uma excepção com o Ferrero da Maria, mas porque era o da Maria). Estes são os meus valores e pretendo mantê-los.

Apesar destes valores e da religião, a malta gosta de trincas, que a trinquem e que a coisa seja feita em condições. Ora, o avorrecimento é que a malta tem sido trincada e nem sequer é do seu desejo ou vontade. Não tem piada nenhuma que me trinquem assim sem mai nem menos e sem eu perceber. Estou cansada que me façam isto.

Na semana passada, no bunker, lá me deram uma trinca, assim de repentemente e pertinho do olho. A trinca foi daquelas que até me ficou a doer a cabeça, os ossos e inchou-me o olho. Lá vou eu às urgências, a médica entra em pânico e deixa-me alarmada e diz “isto pode prejudicar o olho”. Uma gaija quando dizem que o olho pode ficar danificado até se passa e lá tomei os antibióticos durante uma semana.

Esta semana, no metro, dão-me uma trinca… mais uma. Daquelas que até me saltaram os pés do chão. Chego ao bunker de rastos, com dores nos ossos e novamente com problemas no olho. Entro simpaticamente, dou os meus bons dias ao people e vou até à casa de banho, quarto de banho, banheiro, wc, whatever, olho-me ao espelho e grito


DASSSSSE, PQP as melgas…..


Eh pá! Lisboa está cheia de melgas, e pior, devem de achar que só eu é que existo porque ando cansada de ser trincada pelas gaijas e ficar com o olho (direito) inchado… Bah!!!!!

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Palcos


Há quem escreva as suas peças, construa os seus próprios palcos e tenha sucesso. Adoro pessoas decididas que constroem palcos.

Isto para vos falar do meu amigo F., gaijo decidido que os constrói. Contudo, o F. namorou durante anos com a A. e fazia-lhe confusão porque a A. não construía palcos. Ou seja, ela só sabia construir os palcos dos outros e não os seus.

Ao que eu questionei:

Eu: Porque amas a A.?
Amigo F.: Porque acredito que ela irá construir o seu palco e quero estar lá para ver.
Eu: Amigo, a A. nunca irá construir sozinha os seus palcos. Penso que a amas apenas por uma projecção que tens da tua própria imagem. Ou seja, desejas que a A. Seja uma cópia tua e isso não é amar. É egocentrismo. Devias de a amar por aquilo que ela é, não?
Amigo F.: Lá estás tu a filosofar!!!!

Como já sabia, algo iria acontecer, e ele iria ver por si mesmo. Passado dois anos o Amigo F. libertou-se da amiga A. E eis a conversa:

Amigo F: Estou todo enfaralhado do pipinho eu e a A. acabamos.
Eu: Então? que se passou?
Amigo F.: Conclui que ela não iria construir o seu palco sozinha! E pior, estava a destruir o meu palco!
Eu: Ainda bem que chegaste lá!!!!!

Há quem construa palcos sozinho e há quem nasça unicamente para construir os palcos dos outros. E ainda há quem acredite que amar o outro passa pela mudança do dito à sua imagem…

Não seria mais fácil amar o outro por aquilo que ele é? Depois dizem, ai e tal, estou enfaralhado do pipinho e a culpa não é minha!!!!!

terça-feira, 6 de maio de 2008

As Maçãs!


Uma noite destas, estava eu mais o meu amigo C. a ver televisão, depois de um belo sushi, acompanhado por um Demo (difícil de encontrar hoje em dia), em que os pipinhos já estão dormentes. Ora, o programa que estava a ser visionado pelos dois era um daqueles que tem a discussão saudável “entre amigos”, e um dos moçoilos verbaliza o seguinte:

“Para mim, as mulheres são como as maçãs na árvore. As mais bonitas e inteligentes estão nos ramos mais altos, as outras mulheres estão nos ramos mais baixos. Ou seja, é preciso ser um homem muito decidido para trepar ao cimo da árvore para colher uma mulher bonita e inteligente. São raros os heróis… e no final, as maçãs que estão nos ramos mais altos acabam por apodrecer, cair no chão e são comidas pelos porcos.”

Olhei para o amigo C. o amigo C. olha para mim e questiona:

Amigo C.: Tens medo de cair da árvore e ser comida por um porco?
Eu: Não querido! sou apologista que, independentemente da altura em que se está na árvore e da queda que possa acontecer, mais vale ficar só do que ser comida por um porco …
Amigo C.: Ok!
Eu: E tu? tens medo de mulheres bonitas e inteligentes?
Amigo C.: Nope!
Eu:…e porque o resto dos homens tem?
Amigo C.: Não te sei explicar, como não tenho medo não te sei responder.

Fiquei com a dóvida à mesma, eu a falar com um gaijo e ele não me tira a dóvida!!! “Why the heel as mulheres bonitas e inteligentes provocam medo aos homens? Hummmmm?”

segunda-feira, 5 de maio de 2008

crianças?


Hoje caí da cama e acordei com “raivinhas”. “Raivinhas” acumuladas de vários meses e pelos visto a segunda-feira é o dia de terapia… Ora, cá vai…

Sempre ouvi dizer que as crianças são “más”. Este “más” é devido às crianças verbalizem o que lhes vai na pinha, doa a quem doer, sem medos nem rodeios.

Isto acontece, como a maioria sabe, ou não, devido às crianças passarem por estádios. Ou seja, patamares a nível do desenvolvimento. Ao longo deste desenvolvimento, o belo do pipinho vai sofrendo mudanças, e quando são bem pequeninas, o dito não está desenvolvido o suficiente, o que leva a que as verbalizações da bela da criança sejam that way!

Ora, os belos dos Pais existem para ensinar, acompanhar e conduzir este processo de amadurecimento, implementando coisas boas nos pipinhos das crianças. Tenho constatado que, há várias gerações que os Pais plantam galhunços nos quintais das crianças. Ok, explicação dada.

Ultimamente têm passado por mim crianças “más” de várias idades. Elas têm 50, 40, 30 and so on!!!!

Conversa entre gaijo de 20 e gaija:

Gaijo de Vintes: Oh jiminy, já pintavas o cabelo, não?
Eu: Oh gaijo, eu gosto das minhas brancas!
Gaijo de Vintes: Eh pa! Mas ficas com ar de cota!
Eu: A malta é cota!!!!!!!!!!!!!!!

E eu pensava… o moçoilo tem o cabelo à dragon-ball, calças a cair pelas pernas qual fralda descartável, tem 1,70 e pesa 90 quilos e eu é que pareço cota? Ahhhh, ok!!!

Conversa entre gaijo de 30 e gaija:

Gaijo de trinta: eh pá estas gaijas vêm para a esplaneiting de barriga de fora!
Eu: e?
Gaijo de trinta: Olha bem para estas barrigas flácidas e enormes, um gaijo até deixa de ficar horny quando olha para aquilo!!!!!
Eu: Oh pá, porque non te callas?

E eu a pensar…Interessante, o gaijo tem trinta anos, tem uma barriga de seis meses e FLÁCIDA, um corpo de cinquenta e está a criticar?!?!?!?!?!

Conversa entre gaijo de 40 e gaijas:

Gaijo de quarenta: Tens o rabo flácido, precisas de ir ao ginásio.
Gaija de Vintes: Qual foi a parte do “estou desempregada e não tenho dinheiro para ir ao ginásio” que não percebeste?
Eu: Oh gaijo, porque non te callas?

O gaijo é careca e flácido (apesar de fazer o seu desporto)…. Ok, não tem barriga!!! a miúda de vintes é gira comó catano e o gaijo tem a lata de lhe dizer uma coisa destas?!?!?!?!

Conversa entre 3 gaijas:

Gaija de cinquenta: Tens um penteado novo, deixa-te mais masculina.
Gaija de trinta: …. (quase com a lágrima no canto do olho)
Eu: Uuau!!! Estás linda com o teu penteado novo. Imagina no verão, bem morena, top preto a mostrar o ombro, brincos compridos, um must!!!!
Gaija de cinquenta: Mas não deixa de estar masculina!
Gaija de trinta: … (lagrimazita rolou no rosto)
Eu: Eh Pá! Vai mesmo em português… Cala-te!!!!!

E eu a pensar… esta gaija tem 50 anos, é “para lá de gorda” comó catano, feia como os trovões. A miúda É gira e ESTÁ gira com o novo penteado, e a gaija diz isto?

Agora digam-me, as crianças são “más”? ou andamos rodeados de criancinhas??????

Nota: o meu sobrinho de 12 anos não tem saídas destas…. Coitado, vai ser trucidado pelo mundo!!!!!

domingo, 4 de maio de 2008

Mayotte Party I


Beim, a malta deixou de trabalhar aos fins-de-semana “Ai e tal já não é preciso” e a malta de repentemente vê-se com imennnnnso tempo livre, o que não é habitual na vida da “je”. Ok, sabe bem ser igual ao comum dos mortais. Levantar à hora do almoço a um sábado ou a um domingo é um dos prazeres que me tinha sido negado até há bem pouco tempo.

Sexta à nôte Miss Daisy lança o boato verdadeiro que irá haver uma festa “tal” grátis e free assim lá para Mayotte. O “je” fica convencida que será nos jardins de Mayotte. Miss Daisy comunica que amiga de Hong Kong passa pela Down Town da PSA às 3 da tarde para levar a “je” até Mayotte e no fim do dia Party em Mayotte.

Ok, ontem moi même dormiu até partir (expressão que eu adoro) e lá por volta das 3 da tarde a amiga de Hong-Kong dá o belo do toque a avisar que chegou. Beijos e abraços comuns entre nós e a conversa:

Amiga de Hong-Kong: Jiminy? Só vais assim?
Eu: Eh pá! Porquê?
Amiga de Hong-Kong: Não sei, acho que vais ter frio!
Eu: Mas a Party não é no jardim de Mayotte?
Amiga de Hong-Kong: Eu ouvi dizer, dissérem-me que é na praia.
Eu: On the beach? Party free on the beach?
Amiga de Hong-Kong: Yap
Eu: Achas que leve um casaco?
Amiga de Hong-Kong: Eh pá, a Miss Daisy deve ter, bora lá!

Como sabem a amiga de Hong-Kong é super decidida e não fica nos “hãn? não sei! Talvez!!”. É mais para “Vora lá”. E lá fomos, colocando a conversa da semana em dia e a dóvida pairava entre nós, “se a party seria no jardim ou on the beach?”.

Chegamos a Mayotte e a dóvida foi esclarecida, Party on the beach grátis e free à nôte. ;)

A tarde foi passada a vegetar no jardim do quintal da Miss Daisy (lendo as noticias e fumando cigarros enquanto se apanha sol) Miss Daisy pintava tudo o que lhe passava pela frente de cor de laranja incluindo o belo do ténis do amigo Dui. E eis que chega a nossa amiga das Comores. Para quem não sabe, as ilhas Comores são ali ao lado de Mayotte e a sua presença era esperada com entusiasmo pois com ela vinham os granizados de champagne com morangos. Uhhhhhhhh!

Chili para o jantar acompanhado por uns granizados, deliciouuss!!!!. Lá pelas 22 siga para a Party on the beach. Cheiro da bela weed pelo ar e lá levamos com o gaijo de metro e meio que usava o blusão de ganga arregaçado até aos cotovelos, cabelinho à fo… e que tira a roupa e fica quase nú à nossa frente (esta gente tem uma forma estranha de curtir a bela da Party) ainda levamos com as fitinhas abichanadas do sapo para colocar no pulso.

Reggae e passeio pela praia. A malta lá sai dos seus saltos do sétimo andar da sandaloca e regressa ao R/c, anda a passear na areia molhada da praia mais a Miss Daisy e a amiga de Hong-Kong e a noite estava divinal.

Não estivemos pela free Party on the beach, não estivemos pelo reggae, os granizados foram divinais, mas o que nos mantêm juntinhos é a friendship!!!

Hoje a malta está com dores de garganta, mas valeu a pena ;) Algo me diz que chego ao fim do verão com mais umas idas às urgências “ai e tal tem de parar de ir à Party on the beach” Acham??????

Sunday Flowers

Sex Machine

Fellas, I'm ready to get up and do my thing (yeah go ahead!)
I wanta get into it, man, you know (go ahead!)
Like a, like a sex machine, man, (yeah go ahead!)
Movin' and doin' it, you know
Can I count it off? (Go ahead)

One, two, three, four!

Get up, (get on up)
Get up, (get on up)
Stay on the scene, (get on up),
like a sex machine, (get on up)
Get up, (get on up)
Get up, (get on up)
Stay on the scene, (get on up), like a sex machine, (get on up)
Get up, (get on up)
Stay on the scene, (get on up),
like a sex machine, (get on up)

Wait a minute!

Shake your arm, then use your form
Stay on the scene like a sex machine
You got to have the feeling sure as you're born
Get it together, right on, right on.

Get up, (get on up)
Get up, (get on up)
Get up, (get on up)

Hah!Get up, (get on up)
Get up, (get on up)
Get up, (get on up)
Get up, (get on up)

You said, you said you got the,
You said the feeling,
You said the feeling you got to get
You give me the fever 'n' a cold sweat.
The way i like, it is the way it is, I got mine 'n' don't worry 'bout hisGet up, (get on up)

Stay on the scene, (get on up),
like a sex machine, (get on up)
Get up, (get on up)
Get up, (get on up)

Bobby! Should I take 'em to the bridge?(Go Ahead!)
Take 'em on to the bridge!(Take em to the bridge!)
Should I take 'em to the bridge?(Yeah!)
Take 'em to the bridge?(Go Ahead!)
Hit me now!Come on!Stay on the scene, like a sex machine!
The way I like it is, is the way it is
I got mine, (dig it!), he got his

Stay on the scene, like a lovin' machine
Stay on the scene, like a lovin' machine
Stay on the scene

I wanna count it off one more time now (Go ahead!)
You wanna hear it like it did on the top fellas?(Yeah!)
Hear it like it did on the top?(Yeah!)
Hit it now!Get on up, (get on up)

Get up, (get on up)
Get up, (get on up)
Get on up, (get on up)
Stay on the scene, (get on up),
like a lovin' machine, (get on up)

Get up, (get on up)
Taste, (get on up)
Bein', (get on up)
Taste, (get on up)
Bein', (get on up)
Get up, (get on up)
Get up, (get on up)

Stay on the scene, (get on up),
like a sex machine, (get on up)
You gotta have the feelin, (get on up)

Sure as you're born, (get on up)
Get it together, right on, right onright on, right on, (right on, right on)
right on, right on, (right on, right on)
right on, right on, (right on, right on)
Get up, (get on up)
Get up, (get on up)

And then, shake your money maker,
Shake your money maker,
Shake your money maker,
Shake your money maker,
Shake your money maker,
Shake your money maker,
Shake your money maker

Get up, (get on up)
Get up, (get on up)
Get up, (get on up)
Get up, (get on up)
Get up, (get on up)
Huh!Get up, (get on up)
Get up, (get on up)
Get up, (get on up)

Can we hit it like we did one more time, from the top
Can we hit like that one more time(One more time!)
One more time!Let's hit it and quit! (Go ahead!)
Can we hit it and quit? (Yeah!)
Can we hit it and quit? (Yeah!)
Can we hit it and quit? (Yeah!)
Hit it!

James Brown